Dia desses, em uma conversa construtiva, real e sincera, recebi a questão que veio com vontade de uma resposta clichê. “Qual o maior presente que tu ganhou”? Eu estava com tempo e com vontade de conversar, logo respondi: “O que é maior pra ti? Falamos de tamanho, de importância, de utilidade”? Ele fugiu. Disse: “Maior é maior”!

Então, derrubando todo o planejamento do interlocutor, eu disse “Olha, um que eu cuido muito bem desde o dia que ganhei, que me é muito útil e sempre me lembro com carinho de quem me deu, é um espelhinho de banheiro que uso para fazer a barba, que ganhei da minha amiga Fê Majewski”. Surpreso e até um pouco decepcionado meu interlocutor perguntou: “Ta mas e o teu filho”?

Obrigado pela pergunta, agora vem o texto.

Meu filho não é um presente. Meu filho não me pertence. Crescemos com a ideia de que os filhos são nossas “propriedades”, mas com o tempo, fui criando uma visão totalmente diferente disso.

Meu filho é do mundo! Meu papel na vida dele é fornecer as condições para que ele se desenvolva uma pessoa que irá fazer a diferença na vida das pessoas, que vai fazer diferença na sociedade.

Muitas vezes as pessoas não se dão conta, eu seus protestos, seus preconceitos, que o mundo de hoje nem é mais nosso, muito menos será nosso o mundo de amanhã. Tudo que fazemos na criação dos pequenos, irá refletir lá na frente na construção de uma sociedade moderna e necessária. Os pequenos de hoje, irão crescer sob outros padrões.

Temos a obrigação de ensinar princípios para os nossos. Honestidade, humildade, empatia, caridade, amor ao próximo, senso de comunidade, tudo isso são coisas que sim, devemos ensinar em casa. Agora não nos cabe ensinar e pensar contra o outro, incitar rivalidades tóxicas, colocar responsabilidades que nem sabemos se terão que cumprir, usar velhos tabus como verdades absolutas quando a verdade é sempre o respeito.

Vou errar muito ainda. Vamos errar! Mas vamos seguir tentando!

E quando o meu filho crescer, quando alguém perguntar qual o maior presente ele ganhou, que ele responda: “A liberdade de pensar por mim mesmo”!

One thought on “O maior presente

  1. Muito lindo saber que teremos adultos libertos dos padrões e preconceitos que hoje carregamos. Que mais homens e mulheres pensem assim, na forma de educar, os adultos do amanhã.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.