Para onde vão as palavras e os sentimentos que Ninguém Me Perguntou?

Ano passado meu amigo Comanchi me fez essa provocação que uso de título. Essa semana ela voltou a fazer sentido com alguns acontecimentos, mas para valer o texto vou relacionar com a minha caixinha de perguntas do instagram. Coloquei no instagram uma caixinha de perguntas, para que as pessoas sugerissem assuntos alguns textos que quero escrever. Pedi que colocassem assuntos que gostariam de conversar comigo. Na minha humilde e arrogante pretensão idealizei que a pessoa se imaginaria sentada comigo, tomando um café ou uma cervejinha e que, do jeito que gosto, iriamos entrar em assuntos profundos, conversas longas onde poderíamos concordar discordando ou discordar concordando, enfim, pensei num momento de troca, de partilha e de crescimento.Fiquei muito, mas muito mesmo lisonjeado com as questões que levantaram, e mais de 300 pessoas viram meu story (como tenho pouco mais de 800 seguidores acredito que 300 é um numero bom de visualizações), porém, recebi apenas 19 respostas. Agrupando pessoas que responderam mais de uma vez e as piadas internas (que também vão ganhar texto), formam 12 participações. Vou repetir só pra marcar, de 300 pessoas que visualizaram, apenas 12 deram atenção e dedicaram um pouco do seu tempo para participar. Algumas não participações me doem vou ser bem sincero, e me pego pensando: Por que deixar pra depois? Por que esperar? Quando menos se espera, o tempo já vai ter passado. E assim, passam e se vão os bons sentimentos, as boas intenções e a oportunidade de fazer a diferença. Para onde foi tudo isso que não foi dito? A caixinha, a pergunta, a provocação eram apenas formas de tu me fazer companhia, e abrir oportunidade para nos conectarmos, mesmo que por texto, o meu coração com o teu. Agora guardo essa oportunidade naquela gaveta, escondida, emperrada e empoeirada.

P.S – Os textos estão escritos, só não decidi se publico um a um ou todos juntos.